Jon Favreau fala como a Unreal Engine foi crucial para o set de The Mandalorian

Desde que Jon Favreau criou todo universo de Rei Leão em computação gráfica realista, ele passou a olhar para tecnologias digitais com mais carinho. Foi ali que ele começou a pensar em como faria The Mandalorian, a série sobre o universo de Star Wars exclusivo para a plataforma de streaming Disney+. Diferente do filme de animais virtuais na selva, a produção agora também conta com pessoas reais. Um novo desafio.

Favreau está apostando em um sistema misto entre realidade virtual e live-action. Sabendo que não se trata de um filme canônico da franquia, o diretor também não conta com todo dinheiro do mundo para recriar as cidades que existem nos longas. A solução foi fazer um ambiente com projeções em realidade virtual que se transformam nos fundos de tela típicos de Star Wars.

Como ele vai fazer isso? O diretor criou todos os set em realidade virtual, mapeando o ambiente em Rei Leão. Com isso, ele consegue mesclar ambientes reais com computação gráfica de forma mais convincente. No caso de Star Wars, esse mapeamento é feito usando a Unreal Engine, motor gráfico no qual Fornite foi criado. Segundo Favreau, é com a ferramenta da Epic Games que ele cria posicionamento de personagens e câmera e depois transpõe tudo isso para o set.

Na hora que os atores entram para as gravações, parte dos cenários já estão projetados fisicamente com técnica de video-wall. Ou seja, as texturas e profundidade são criadas por uma imagem com projetor em parede lisa, barateando o custo do projeto.

Outras cenas já são feitas em fundo de chroma key, mas os câmeras e atores já podem ver o fundo renderizado em tempo real. “Como estamos trabalhando com live-action, estamos usando a engine da Epic para efeitos visuais em tempo real na câmera. Se você visitasse o set de The Mandalorian, você veria um ambiente todo envelopado com video-wall e nós estaríamos lá filmando os personagens no plano de fundo”, explica o diretor em entrevista ao Collider.

O grupo também usa um fundo azul para criar ambientes extensos como o de desertos, nos quais é preciso o efeito de Parallax. Esta técnica consiste em dividir o set em planos diferentes para criar esta sensação de profundidade. Ou seja, há um plano mais no fundo em chroma key, usado para o horizonte. No plano mediano, estão os prédios e ambientes. No primeiro plano, estão os atores e o set real de filmagem.

Para permitir os movimentos de visão, cada câmera é marcada no cenário e as projeções respondem com perspectivas iguais para todas as telas. Dessa forma, o ambiente parece o mesmo, independente da posição que se olhe.

“Às vezes, usamos uma tela azul ou versões totalmente digitais de extensões do set como plano de fundo em Parallax, pois os dados de posição de câmera informam como deve ser o plano de fundo. Assim, é como se o translight tivesse perspectiva”, explica Favreau. O translight é o nome da técnica de cinema que usa um fundo falso imitando um plano em perspectiva.

Segundo o diretor, esta técnica permitiu que o grupo pudesse ter qualquer fundo que quisesse “desde que conseguíssemos construí-los digitalmente”. Foi por causa da Unreal Engine que isso foi possível.

“Para que o trabalho fosse planejado, nós conseguimos usar a engine de jogos para criar estes efeitos no espaço de tempo necessário para a série ficar pronta”, apontou.

Para isso, o time precisou de muito tempo de pré- produção, criando os cenários e mapeando os ambientes. É por isso que, antes mesmo do lançamento da primeira temporada, Favreau já está construindo a próxima. Segundo o diretor, o set de filmagem agora se parece exatamente com o de Rei Leão em que não há atores, mas um universo já em construção.

Em entrevista durante evento da Vanity Fair, ele apontou que a técnica foi crucial para o desenvolvimento da série, já que a equipe não teria nem tempo, nem dinheiro para conseguir fazer todos os ambientes e sets para filmagem.

A expectativa era de ter que levar toda equipe para o deserto de Abu Dhabi, o que tomaria muito mais meses de produção e dinheiro com o time. Do contrário, foi muito mais fácil fazer paredes gigantes de projeção em um ambiente interno da Disney.

The Mandalorian vai contar a história de um caçador de recompensas no mundo de Star Wars. A produção vai estrear em 12 de novembro com o lançamento do Disney+ nos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: